Controle de Processos

Acesso restrito aos clientes e colaboradores da Tannus Sociedade de Advogados. Acompanhamento em tempo real do andamento processual.

Informativos

Cadastre seu e-mail para receber informativos da Tannus Sociedade de Advogados

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
Espanha 0% . . . .
França 0,43% . . . .
Japão 1,86% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Previsão do tempo

Domingo - Campinas, SP

Máx
20ºC
Min
14ºC
Nublado com Possibil

NOTÍCIAS

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Socorro Pimentel defende prevenção contra febre amarela e leishmaniose

Ao registrar a comemoração do Dia do Infectologista (11 de abril), a deputada Socorro Pimentel (PTB) cobrou, no Pequeno Expediente desta quinta (12), a atuação governamental para o combate a doenças infecciosas, como a leishmaniose, a zika e a febre amarela. Sobre esta última, a parlamentar voltou a defender que seja feita uma campanha de vacinação em massa em Pernambuco. “Com relação à febre amarela, por exemplo, estamos há mais de um ano recomendando a vacinação em massa, enquanto a Secretaria de Saúde diz que não há necessidade”, afirmou. Ela lembrou que o Ministério da Saúde definiu que a recomendação de vacinação contra a febre amarela deverá ser ampliada para todo o território brasileiro. Pimentel ressaltou o trabalho de prevenção contra a leishmaniose (também conhecida como calazar), que é a terceira maior causa de morte por parasitas em todo o mundo. “A grande maioria dos casos da doença ocorre no Brasil, Bangladesh, Índia e Sudão. No Brasil, o Nordeste responde por 55% dos casos”, destacou a deputada. Segundo dados apresentados por ela, Pernambuco registrou 172 casos da doença em 2017. “Para combater a leishmaniose, poderíamos ter um teste rápido sendo feito por agente de endemias em animais que transmitem a doença. Isso evitaria inclusive o sacrifício desnecessário desses animais”, sugeriu Pimentel, apontando que a maioria dos municípios pernambucanos não faz esse procedimento por falta de material. Socorro Pimentel também defendeu medidas preventivas para doenças infecciosas de uma maneira geral, como eliminar insetos vetores, realizar o manejo ambiental e a destinação adequada do lixo orgânico. “Na saúde, prevenção é tudo, porque evita um gasto muito maior com o tratamento posterior. Mas, infelizmente, vemos muito pouca informação sobre isso partindo do Governo”, avaliou.
12/04/2018 (00:00)
Visitas no site:  706647
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia