Controle de Processos

Acesso restrito aos clientes e colaboradores da Tannus Sociedade de Advogados. Acompanhamento em tempo real do andamento processual.

Informativos

Cadastre seu e-mail para receber informativos da Tannus Sociedade de Advogados

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
Espanha 0% . . . .
França 0,43% . . . .
Japão 1,86% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Previsão do tempo

Domingo - Campinas, SP

Máx
20ºC
Min
14ºC
Nublado com Possibil

NOTÍCIAS

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Fonamec debate pacificação de conflitos

“Inovação e Mediação” foi o tema do VI Fórum Nacional de Mediação e Conciliação (Fonamec), realizado no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) nos dias 7 e 8 de março. No evento, representaram o Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) a coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflito (Nupemec), desembargadora Dahil Paraense, além das juízas auxiliares da presidência Antonieta Mileo e Luana Santalices. O evento visa promover discussões e levantar boas práticas para aprimorar o exercício das funções desempenhadas por seus integrantes, buscando aperfeiçoar cada vez mais os métodos consensuais de solução de conflitos por meio do intercâmbio de experiências. Durante a programação, o juiz do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), Paulo César Neves, foi empossado como presidente do Fonamec. O magistrado, que ficará à frente da entidade durante um ano, assume o compromisso de dar continuidade ao avanço da política consensual em todo o Brasil. Também foram eleitos coordenadores do Nupemec o juiz Alexandre Abreu, do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), e o desembargador Raduan Miguel Filho, do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO), 1º e 2º vice-presidentes do Fonamec, respectivamente. O Fonamec tem atuação em âmbito nacional, é composto pelos Presidentes e Coordenadores dos Nupemecs dos Estados, do Distrito Federal e pelos Magistrados dirigentes dos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs), conforme o Art. 1° do seu Estatuto, e se apresenta como o principal formulador da política pública da solução consensual dos conflitos.
Fonte:
TJ Para
14/03/2018 (00:00)
Visitas no site:  665735
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia